SÃO PAULO - Em ato assinado em conjunto com o ministro Sergio Moro (Justiça), o presidente Jair Bolsonaro voltou a nomear Marcelo Álvaro Antônio para o cargo de ministro do Turismo. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (7).

A publicação da exoneração causou desgaste ao governo e obrigou a publicação de uma versão extra para a retificação da medida, com a exclusão da assinatura do ministro Sergio Moro.

A exoneração gerou rumores de que ele teria sido demitido e não voltaria ao cargo por força das denúncias do jornal "Folha de S. Paulo", publicadas na segunda-feira, de que Marcelo Álvaro teria patrocinado um esquema de candidaturas laranjas em Minas Gerais com o percentual do fundo partidário reservado às candidaturas de mulheres. Como presidente do PSL em Minas Gerais, ele teria direcionado essa verba para empresas ligadas ao seu gabinete na Câmara.

Após a divulgação de sua exoneração, o ministro foi às redes sociais explicar que se tratava de decisão temporária para assumir mandato na Câmara e que retornaria no dia seguinte.

Nesta quarta-feira, Álvaro Antônio foi ao plenário da Câmara em cadeira de rodas, permaneceu apenas o tempo necessário para que fosse cumprido o protocolo da posse e depois deixou a Casa. Ele disse que realizou uma cirurgia na perna.

Onyx

Essa metodologia também ocorreu com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Sua exoneração saiu no Diário Oficial da União nesta quinta-feira para que ele possa assumir o cargo de deputado federal pelo DEM de Rio Grande do Sul e desarquivar projetos de sua autoria apresentados em legislaturas passadas, informa a Casa Civil.

A perspectiva é que Onyx volte à Casa Civil até amanhã. Na mesma edição do Diário Oficial que trouxe a exoneração há assinaturas dele indicando nomeações para outros postos do governo. Ele nomeou Martim Ramos Cavalcanti para o cargo de subchefe adjunto de finanças públicas da Casa Civil e Daniela Ferreira Marques para posição semelhante na área de infraestrutura de sua pasta. Onyx também formalizou a ida de Giovana Dias da Costa para a diretoria do Departamento de Relações com Organismos Internacionais da secretaria do governo, além da nomeação de Raimundo Nonato Ribeiro para o cargo de assessor especial de relações institucionais desse órgão.





VEJA MAIS