Joênia Wapichana derrubou um tabu histórico: nunca uma mulher indígena havia sido eleita deputada federal no Brasil. Nunca até o último domingo 7. Com 8.491 votos, Wapichana venceu as eleições em Roraima, pela REDE, e ocupará uma das oito cadeiras reservadas ao estado na Câmara dos Deputados.

Em toda a história, apenas outro nome indígena havia ocupado o cargo – Mário Juruna, do PDT, em 1982. Juruna criou a Comissão Permanente do Índio no Congresso, que anos depois seria incorporada à recém-criada Comissão de Direitos Humanos e Minorias. Após o término do mandato, nunca foi reeleito.

Wapichana ocupa a lacuna deixada por Juruna em um momento importante: nos últimos dos anos, o governo de Michel Temer acabou com mais de 300 cargos da Funai e atrasou as demarcações de terra. Wapichana sabe a importância de seu mandato. “Todos têm uma missão na vida. A minha é defender os direitos coletivos indígenas”, escreveu em sua conta de Instagram.





VEJA MAIS