A pesquisa Datafolha tem mais semelhanças que diferenças em relação ao Ibope. No Datafolha, a 20 de agosto, Bolsonaro estava em primeiro, empatado com nulos e brancos (22%). No Ibope, nesse dia Bolsonaro tinha 20% e brancos e nulos estava em primeiro, com 29%. Haddad tinha 4% nas duas pesquisas, era o sétimo. Ciro tinha 10% no Datafolha e 9% no Ibope. Marina tinha 16% no Datafolha e 7% no Ibope. Alckmin tinha 9% no Datafolha e 7% no Ibope. "Não sabe" tinha 6% no Datafolha e 12% no Ibope.

Há divergências, portanto, em relação a nulos e brancos, "não sabe" e Marina.

No Datafolha de ontem, tal como no Ibope de anteontem, Bolsonaro continua em primeiro, com 28%. Brancos e nulos caíram para 12% no Datafolha e 14% no Ibope. Haddad foi para 16% no Datafolha e 19% no Ibope. Ciro tem 13% no Datafolha e 11% no Ibope. Marina tem 7% no Datafolha e 6% no Ibope. Alckmin tem 9% no Datafolha e 7% no Ibope. "Não sabe" tem 5% no Datafolha e 7% no Ibope.

O dado mais importante numa pesquisa são as curvas de ascensão ou queda. As curvas de Bolsonaro e Haddad são ascendentes, mas o crescimento do petista é muito mais rápido: nesse período Bolsonaro cresceu 6 pontos no Datafolha e 8 no Ibope, enquanto Haddad cresceu 12 no Datafolha e 15 no Ibope. Nas duas pesquisas, Haddad cresceu o dobro de Bolsonaro.

Tal como mostrava o Ibope, o Datafolha também mostra que Haddad cresceu tirando de "nulos e brancos" e "não sabe", mas o Datafolha revela que ele também tirou muito de Marina. Não tirou nada de Ciro, nas duas pesquisas. Bolsonaro também cresceu nesses quesitos, sem afetar Alckmin.

Somente Haddad e Bolsonaro estão em ascensão no Datafolha, tal como no Ibope. Ciro fica praticamente na mesma desde 20 de agosto, sem subir e sem cair: vai de 10% a 13% entre 20 de agosto e 10 de setembro e depois mantém essa pontuação no Datafolha; no Ibope começa com 9% e depois fica nos 11%, sem alteração.

Há quem diga que Ciro está tecnicamente empatado com Haddad neste momento, mas Haddad sobe vigorosamente e Ciro parou, o que significa que na próxima pesquisa esse "empate" vai desaparecer.

Marina cai vertiginosamente no Datafolha (de 16% para 7%), enquanto no Ibope começa com 7%, mas o número final é mais ou menos o mesmo: 6%.

Alckmin também não cresce desde 20 de agosto, está com 9% no Datafolha e 7% no Ibope.

O que esses números revelam é que haverá segundo turno entre Haddad e Bolsonaro e o Ibope informa que os eleitores de Ciro, Marina e Alckmin dão mais votos no segundo turno a Haddad (de 50% a 60%) que a Bolsonaro. Até os de Alckmin.

Ou seja, o segundo turno será todos contra Bolsonaro.





VEJA MAIS