A polícia prendeu, na manhã deste sábado (10), em Itagimirim, um homem suspeito de praticar uma série de sequestros e estupros na região.

De acordo com os policiais, Silvano Conceição dos Santos, de 25 anos, que já estava com mandado de prisão decretado pela justiça de Eunápolis, quase foi linchado por um grupo de moradores. 

Conforme as investigações, ele vinha praticando os crimes desde o mês de agosto em cidades como Porto Seguro, Eunápolis, Nova Viçosa e Itabela. A prisão foi pedida pelo delegado Rodolfo Faro e expedida pela juíza Michele Quadros - da 2ª Vara Criminal, na sexta-feira (09).

De acordo com informações da polícia, o suspeito foi localizado em um posto de combustível, após denúncia de uma pessoa que o reconheceu por meio de fotos divulgadas na imprensa. 

Ainda de acordo com a informação, Silvano fugiu pulando por vários quintais de residências até ser contido por populares nos fundos de uma oficina mecânica. Os policiais chegaram a tempo de evitar que a população o matasse. A polícia ainda não informou se ele portava alguma arma.

O suspeito - que teria chegado a Itagimirim na sexta-feira (09), estava com várias escoriações pelo corpo. Ele foi trazido para a delegacia de Polícia de Eunápolis, onde vai prestar depoimento. Antes de ser encaminhado para o presídio, Silvano vai passar por exame de corpo de delito no Departamento de Polícia Técnica.

veja fotos - png

O mandado de prisão temporária é de 30 dias. Nesse tempo, o delegado Rodolfo Faro pode pedir que a justiça converta o pedido em prisão preventiva, conforme o desenrolar das investigações.

O homem agia sempre da mesma forma. Sequestrava um casal e, enquanto a mulher era mantida refém, o marido dela era obrigado a ir a um caixa eletrônico sacar dinheiro. Nesse intervalo, ele estuprava a mulher.
Entre as vítimas, está uma adolescente de 13 anos, que foi estuprada, após ser sequestrada junto com a família no bairro Dinah Borges, em Eunápolis. 

Em outra ação, na cidade de Itabela, uma mulher, que também pode ter sido violentada, foi baleada no tórax.





VEJA MAIS