Compartilhar:

ITABELA – Em grupos de redes sociais professores de Itabela ameaçam parar atividades

O silêncio por parte do Executivo indigna a classe de professores que mediante a situação ameaça fazer mobilização frente à prefeitura e à Câmara de Vereadores nesta semana que se inicia.

9 09UTC setembro 09UTC 2017 Às 15:49

professores de itabela APLB - folhabaiana
Um grupo de professores começa a tomar medidas diante da inércia por parte do Executivo Municipal da cidade de Itabela- BA.

Uma comissão foi designada pelos professores e pelo executivo, a fim de conduzir os serviços de levantamento do funcionalismo que teria direito ao recebimento dos valores já creditados em conta da PMI.

Finalizada esta etapa, agora cabe ao Gestor Municipal apresentar o Projeto de Ação para o destino da verba. Ficou acordado entre a comissão o “tal” projeto e até a presente data o mesmo não foi encaminhado ao Legislativo para apreciação e votação. Só após esse trâmite é que se fará o rateio a quem de direito.

O silêncio por parte do Executivo indigna a classe de professores que mediante a situação ameaça fazer mobilização frente à prefeitura e à Câmara de Vereadores nesta semana que se inicia, para que tal projeto seja, de fato encaminhado à votação.

Ainda surgem burburinhos de que a segunda parcela já fora creditada e nem a primeira fora repassada.

“Neste ínterim, o valor recebido do Governo Federal, já em conta judiciária da PMI, rendem juros a cada mês que fica ocioso na conta e ainda não decidiram para quem vão os valores do rendimento. Aí está mais um “desfalque” aos bolsos desses tão sofridos profissionais que, além de já terem recebido seus salários com defasagem per capita por aluno ainda correm o risco de não receberem o que lhe são de direito. É justo depois de tanta luta? Mas estão decididos a não deixarem assim. Vão protestar.” Disse um professor que não quis se identificar com medo de perseguição.

O que preocupa a categoria é que há prazo para a prestação de contas destes recursos. Caso não seja feita poderão estornar aos cofres do Governo Federal. Uma pena, já que foi uma luta para consegui-lo.

A categoria espera o bom senso da equipe gestora no que tange a solução do problema, a fim de que todos saiam beneficiados: Os professores com os 60% e a Gestão com 40% que lhe convém gastar com a educação.

REDAÇÃO: FOLHABAIANA.COM

Compartilhar:

AVISO: O conteúdo de cada comentário nesta página é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.