Compartilhar:

Investigação aponta envolvimento do PCC em mega-ataque a empresa de valores na BA

O uso de carros blindados e de carga de explosivos em pranchas de madeira, outra marca da facção, também reforçaram as suspeitas.

10 10UTC março 10UTC 2018 Às 17:57

prossegur

A cúpula da Secretaria da Segurança Pública (SSP) já identificou as digitais do Primeiro Comando da Capital (PCC) no mega-ataque contra a sede regional da empresa de valores Prosegur em Eunápolis, terça-feira passada. O envolvimento do PCC foi revelado à Satélite por fontes do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), unidade da Polícia Civil que concentra as investigações sobre o caso. Além do modus operandi típico dos assaltos cinematográficos orquestrados pelo PCC, uma série de indícios liga a facção paulista à ação que aterrorizou a cidade do Extremo Sul baiano. Em especial, o tipo de munição utilizado pelos bandidos.

prosegur1

Bala de prata
Logo após o ataque, investigadores recolheram várias cápsulas de Lapua .338 Magnum, calibre fabricado para fuzis de precisão. Feita artesanalmente e vendida por cerca de R$ 100 cada, a munição é a preferida dos atiradores de elite do PCC. O uso de carros blindados e de carga de explosivos em pranchas de madeira, outra marca da facção, também reforçaram as suspeitas.

Além do mapa
Embora os detalhes sobre a autoria do ataque à Prosegur sejam mantidos em sigilo pela SSP,  fontes da Draco garantem que a ação  foi ordenada por chefões do PCC e organizada por criminosos que integram o núcleo central da facção em São Paulo, sem qualquer elo com as quadrilhas do chamado Novo Cangaço. Para investigadores da Polícia Civil com experiência em roubos a banco e a empresas de transportes de valores, é a primeira vez que o PCC comanda diretamente um assalto de grande magnitude na Bahia.

Palavra de amigos
Coordenador dos processos da Operação Lava Jato na Justiça Federal de Curitiba, o  juiz Sérgio Moro marcou para a manhã de 25 de junho o depoimento do ex-ministro Jaques Wagner (PT) na ação sobre o sítio de Atibaia, na qual  o ex-presidente Lula  figura como um dos réus. Wagner será ouvido por videoconferência em Salvador, junto a mais duas testemunhas arroladas pela defesa de Lula: o ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli e a ex-ministra Miriam Belchior, que também presidiu a Caixa Econômica.

Bônus gordo
A Bahiatursa aumentou em mais de 150% o valor do repasse para cobrir despesas com o Festival Combina MPB, realizado em Salvador de 1º a 3 de dezembro do ano passado. Inicialmente, o órgão publicou termo de reconhecimento de débito no montante de R$ 600 mil com a Bananeira Produções e Eventos, que tem como sócios Bem Gil e Fafá Giordano, respectivamente, filho e irmã da empresária Flora Gil, criadora do festival e esposa de Gilberto Gil. Ontem, a soma pulou para R$ 1,45 milhão.

Terra arada
Um nome está certo no futuro secretariado do  governo Rui Costa  (PT): número dois da Agricultura, Andréa Mendonça vai herdar a vaga de Vitor Bonfim (PDT), que deixará a pasta para tentar se reeleger deputado estadual.

“Fica claro que ninguém mais pode fazer o que bem entender de uma instituição pública sem prestar conta”, Alexandre Aleluia, vereador do DEM de Salvador, sobre a intimação do professor da Ufba Carlos Zacarias para depôr, à Justiça Federal, sobre a disciplina “Tópicos Especiais em História: o golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil”, alvo de ação popular movida por ele.

Pílula

Viés de alta – Entre os partidos tradicionais do Congresso, o DEM ocupa temporariamente a liderança em número de deputados federais filiados à legenda na janela aberta anteontem. Até agora, ganhou quatro parlamentares: Laura Carneiro (sem partido-RJ), Heráclito Fortes (ex-PSB-PI) ,João Paulo Kleinubing (ex-PSD-SC)  e Sergio Zveiter (ex-Pode-RJ)

 

Fonte: CORREIOS 24H

Compartilhar:

AVISO: O conteúdo de cada comentário nesta página é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.