Após comparecer a evento em Fortaleza, no Ceará, Xuxa ficou mais de 12 horas em aeroporto da capital, porque o jatinho contratado pela organizadora do evento era clandestino e foi impedido de voar. Xuxa tinha outra programação com a Planner Eventos, responsável pelo show, em Recife, mas se recusou a participar devido ao transtorno que passou.

A apresentadora embarcou no sábado (24/11) e teve problemas para retornar ao Rio de Janeiro na mesma noite. Em relatos ao blogueiro Léo Dias, Xuxa disse que, inicialmente, lhe disseram que havia uma pane na aeronave. Mas quando chegou ao aeroporto, às 23h50, descobriu que não era isso que estava acontecendo.

Segundo ela, não deixaram nem ela e nem sua equipe entrar. “Como a aeronave não estava pronta para a gente, não abriram o portão. O avião tinha saído com um prefixo e entrado com outro”, contou. A empresa Planner Eventos, responsável pelo transporte, não poderia realizar o voo porque não é táxi aéreo e foi interditado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Xuxa disse, ainda, que autoridades de Brasília descobriram a irregularidade e apreenderam o avião, que permaneceria assim até esta segunda-feira (26/11). Segundo ela, não lhes disseram mais nada e a equipe que organizava o evento não prestou nenhum apoio durante o transtorno. Por conta disso, Xuxa então cancelou um evento programado para o dia 1º de dezembro. A Léo Dias, ela disse que não dava para fazer mais nada com a contratante.

Em resposta, a Planner Eventos disse que está apurando os “reais responsáveis” pelo transtorno. Segundo a organização, eles jamais contratariam um voo que oferecesse riscos a uma atração. Entretanto, a empresa não se manifestou sobre o cancelamento do show em Recife.





VEJA MAIS