Compartilhar:

Emerson Sheik é mencionado em esquema de venda de dólares por delator

A Investigação envolve a operação “Câmbio, Desligo”, da Polícia Federal.

4 04UTC Maio 04UTC 2018 Às 12:22

Emerson, jogador do Corinthians, durante treino no CT Joaquim Grava (Parque Ecológico do Tietê), na Zona Leste da capital paulista.

O atacante Emerson Sheik viu seu nome ser mencionado em um esquema de venda de dólares em delação de Cláudio Barboza, o Tony. O ESPN.com.br teve acesso ao documento do Ministério Público Federal.

A Investigação envolve a operação “Câmbio, Desligo”, da Polícia Federal.

O jogador do Corinthians teria vendido em torno de US$ 500 mil “para receber reais no Brasil”. O documento ainda aponta que o depoimento do doleiro diz “que tal transação, pelo que se recorda o colaborador, foi feita com uma conta na Ásia e serviu para a compra de um apartamento para o jogador”.

Confira o trecho em que Emerson Sheik é citado na delação:

Em depoimentos consistentes CLÁUDIO BARBOZA (TONY) indica o montante e exemplo de transação de dólar paralelo em que foram feitas as transferências internacionais:

“(…) Que MIZRAHY operou também com câmbio em algumas poucas oportunidades; Que a maioria das operações de MIZRAHY com câmbio, cerca de 80%, se dava com papel físico; Que no citado período o colaborador comprou USD 500.000,00 e vendeu USD 4.050.000,00; Que houve poucas operações de dólar cabo no exterior, em montante menor, de USD 30.000,00 a USD 50.000,00; Que em certa oportunidade o jogador de futebol EMERSON, conhecido como SHEIK, fez operação com MIZRAHY e o colaborador; Que SHEIK vendeu dólares, algo em torno de USD 500.000,00, para receber reais no Brasil; Que tal transação, pelo que se recorda o colaborador, foi feita com uma conta na Ásia e serviu para a compra de um apartamento para o jogador (…)(CLAUDIO BARBOZA – Termo de colaboração referente ao Anexo 27 – autos n.º 0502670- 52.2018.4.02.5101)(Doc nº 72).

Por sua vez, VINICIUS CLARET (JUCA) informa que os dados das operações internacionais estão registrados no sistema Bankdrop e que há registro das operações de MIZRAHY (MIZHA), além de se recordar da operação realizada com o jogador “EMERSON SHEIK”

“(…) Que ao consultar o Bankdrop verifica que há operações de dólarcabo em nome de MIZHA (…) Que o jogador de futebol era o SHEIK; Que SHEIK estava voltando do exterior; Que SHEIK queria alguém para fazer a operação da compra de um apartamento, o que foi feito por MIZRAHY; Que SHEIK vendou dólares; (…) (VINICIUS CLARET – Termo de colaboração referente ao Anexo 27 – autos n.º 0502670- 52.2018.4.02.5101)

Fonte: ESPN

Compartilhar:

AVISO: O conteúdo de cada comentário nesta página é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.