Compartilhar:

Com Rueda de espectador, Galo derrota Flamengo e respira no Brasileiro

Treinador colombiano esteve no estádio Independência para acompanhar o Rubro-Negro

13 13UTC agosto 13UTC 2017 Às 18:40

Eliminado da Copa Libertadores quatro dias atrás, pelo Jorge Wilstermann, o Atlético-MG precisava de uma vitória para afastar a crise que cercava a Cidade do Galo. Então, para o torcedor atleticano, nada melhor do que vencer o Flamengo. O triunfo por 2 a 0, no Independência, com gols de Fábio Santos e Rafael Moura, deixa o time mineiro uma rodada distante do G-6 do Campeonato Brasileiro.

Aliás, o sexto colocado é o Flamengo, que no Independência foi comando por Jayme de Almeida e observado por Reinaldo Rueda, o próximo treinador da equipe rubro-negra. Se o Atlético vai ter mais de uma semana até o próximo compromisso pelo Brasileirão, o Flamengo já tem clássico nesta quarta-feira, pela semifinal Copa do Brasil, contra o Botafogo.

Luan corre, luta e decide para o Atlético sem fazer gols

A entrega de Luan a cada vez que ele entra em campo é principal característica do jogador. E não foi diferente contra o Flamengo. A vontade do camisa 27 não deixou o time alvinegro se abater pela eliminação na Copa Libertadores, para o Jorge Wilstermann. Luan ajudou na defesa e participou das principais jogadas ofensivas atleticanas, como nos gols de Fábio Santos e Rafael Moura. Foi ele quem sofreu o pênalti no primeiro tempo e ganhou de Réver, no segundo, para deixar um companheiro livre para marcar.

Expulso, Trauco foi decisivo para derrota

Trauco jogou pela primeira vez no Estádio Independência e as recordações do local não vão ser das melhores. O lateral esquerdo do Flamengo recebeu dois cartões amarelos e foi expulso aos seis minutos do segundo tempo. A tarde ruim do peruano foi decisiva para a derrota rubro-negra em Belo Horizonte. No primeiro tempo, foi dele no pênalti em Luan. Na etapa final, foi expulso dois minutos antes do segundo gol atleticano, que aconteceu em jogada pelo lado direito de ataque, onde o lateral estaria, não fosse o cartão vermelho.

Reinaldo Rueda esteve no Independência

Campeão da Libertadores do ano passado com o Atlético Nacional, o colombiano Reinaldo Rueda vai comandar o Flamengo na sequência do Campeonato Brasileiro. Antes de assumir o cargo, o treinador esteve no Independência para acompanhar o duelo com o Atlético. Rueda chegou a Belo Horizonte por volta do meio-dia e seguiu para o hotel que estava a delegação rubro-negra. No entanto, o técnico não chegou no estádio com o ônibus que levou os jogadores.

Segundo pênalti contra Diego Alves e segundo gol

 Diego Alves ficou marcado na Espanha pela quantidade de pênaltis que defendeu durante as passagens por Almería e Valência. No retorno ao Brasil, no entanto, o goleiro do Flamengo ainda não defendeu nenhuma penalidade. Em duas oportunidades, dois gols. Primeiro foi contra o Vitória. Neste domingo, contra o Atlético-MG, Diego Alves foi deslocado por Fábio Santos e sequer acertou o lado escolhido pela lateral atleticano.

Tarde foi de protesto por parte da torcida atleticana

A eliminação recente na Copa Libertadores, somada à queda na Copa do Brasil e a campanha ruim no Brasileirão, fizeram algumas torcidas organizadas do Atlético protestarem durante o primeiro tempo do jogo com o Flamengo. Alguns membros dessas facções sequer entraram no estádio durante o primeiro tempo, tanto que o espaço que fica a principal organizada do Atlético ficou vaga durante a etapa inicial. Bateria para animar a torcida e gritos de incentivo somente após o intervalo.

Bronca também contra a diretoria do clube

O silêncio das organizadas durante o primeiro tempo também não foi a única forma de protesta dos atleticanos. Alguns torcedores levaram uma faixa contra o superintendente de futebol do clube, André Figueiredo, que era o diretor da base do clube. O ato ganhou mais visibilidade no momento que a segurança do estádio tentou retirar a faixa desses torcedores.

Torcida do Galo grita nome de Réver após segundo gol

Capitão do Atlético na conquista da Copa Libertadores de 2013, Réver deixou o clube em janeiro de 2015. Mais de dois anos depois, o zagueiro teve o nome gritado pelos torcedores atleticanos, já que ele perdeu uma dívida para Luan, que originou o segundo gol do Galo. Após comemorar e gritar o nome de Luan, a torcida do Atlético fez questão de homenagear o antigo capitão.

Sem jogar, Robinho recebe cartão amarelo

Atualmente na reserva do Atlético-MG, Robinho ficou no banco de reservas contra o Flamengo e não foi nenhuma das três opções do técnico Rogério Micale para entrar durante a partida. Mesmo assim, o camisa 7 foi protagonista de um lance. O atacante entrou no gramado para comemorar o gol de Rafael Moura, o segundo do Galo, e foi amarelado pelo árbitro Elmo Alves Resende.

Felipe Santana volta a jogar após quase dois meses

Desde o dia 21 de junho, quando o Atlético empatou com o Sport, que o zagueiro Felipe Santana não atuava. O defensor teve uma lesão muscular na coxa direita. Após longo período de recuperação, Felipe Santana só entrou no jogo após Gabriel se machucar e precisar ser substituído. O camisa 26 teve um retorno bom, cortando as bolas alçadas pelo Flamengo na reta final do primeiro tempo. No segundo tempo, com um jogador a mais, o Atlético foi pouco atacado.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 2 x 0 FLAMENGO

Data: 13 de agosto de 2017, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Motivo: 20ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Público: 11.031 presentes
Renda: R$ 235.523,00
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva (GO/Fifa) e Cristhian Passos Sorence (GO)
Cartões amarelos: Gabriel, Rafael Carioca e Adilson (CAM) Rhodolfo (FLA)
Cartão vermelho: Trauco (FLA)
Gols: Fábio Santos aos 15 minutos do primeiro tempo; Rafael Moura aos 8 minutos do segundo tempo

ATLÉTICO-MG
Victor, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Gabriel (Felipe Santana, aos 32 do 1º) e Fábio Santos; Rafael Carioca, Elias, Adilson (Otero, aos 22 do 2º) e Cazares; Luan (Yago, aos 30 do 2º) e Fred.
Técnico: Rogério Micale.

FLAMENGO
Diego Alves; Pará, Réver, Rhodolfo e Renê; Márcio Araújo, Willian Arão e Everton Ribeiro; Berrío (Cuéllar, aos 24 do 2º), Geuvânio (Renê aos 9 do 2º) e Felipe Vizeu (Vinicius Junior, aos 24 do 2º).
Técnico: Jayme de Almeida (interino).

Fonte: UOL

Compartilhar:

AVISO: O conteúdo de cada comentário nesta página é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.